Matérias Conheça alguns termos utilizados pelo público e empresas do mercado adulto erótico - Dicionário do Sexo

O universo da sexualidade parece se ampliar, cada vez que me aprofundo no assunto. São tantos os desejos ocultos e práticas realizadas em segredo que fica mesmo difícil conhecer de tudo. O glossário abaixo contém fetiches, disfunções, sex toys – uma série de expressões curiosas sobre um mesmo assunto: sexo.

Conheça alguns termos utilizados pelo público e empresas do mercado adulto erótico - Dicionário do Sexo

Alguns termos tem significados bizzaros, outros são apenas nomes diferentes para práticas bem comuns. Todos são termos bem específicos, muitos deles técnicos, que não se ouvem por aí. Esses conceitos foram tiradas do livro ABC Erótico – O dicionário do sexo, escrito pela presidente da Associação das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (ABEME), Paula Aguiar. O livro tem tantas outras definições impressionantes que fica claro como não existem regras para o desejo sexual.
 
Conheça alguns termos e conceitos interessantes:
 
Algofilia: Desejo ou necessidade de sentir dor durante a relação sexual.
Andropausa: Fase na vida do homem que aparece a partir dos 40/45 anos, quando pode ocorrer eventualmente diminuição da libido e início do processo de envelhecimento biológico.
Anel peniano: Objeto de formato anelar que é colocado na base do pênis. Serve para aumentar o tempo de ereção, mantendo o sangue dentro do pênis. Existem vários tipos e alguns podem vibrar para estímulo do clítoris durante o ato sexual. É fabricado a partir de diversos tipos de matéria prima como o couro, metal e tecido.
Autoasfixia: Também conhecida como Morte Autoerótica, é uma prática que consiste na privação de oxigênio para potencializar o orgasmo obtido pela masturbação. Uma variação sobre o mesmo tema, embora bem mais perigosa, é a Asfixia Erótica.
Belle-de-jour: Do francês, bela da tarde. Diz-se da mulher de vida dupla, casada convencionalmente, mas que se prostitui durante o dia, seja por compulsão neurótica, seja pelo desejo de aventura.
Bondage: Tipo específico de fetiche, geralmente relacionado com sadomasoquismo, no qual a principal fonte de prazer consiste em amarrar e imobilizar seu parceiro ou pessoa envolvida. Pode ou não envolver a prática de sexo com penetração.
Boneca(o) inflável: Imitação inflável de uma pessoa, feita de borracha, silicone ou outros materiais, com partes íntimas, que simula o corpo masculino ou feminino.
Capa peniana: Material que envolve o pênis, com protuberâncias que estimulam a parceira.
Catena: Do latim, cadeia. Esse é o nome dado a um tipo de sexo grupal, comum no Império Romano, no qual cada participante praticava algum ato sexual com dois outros, formando o elo de uma corrente que se liga aos demais. Por exemplo, um homem recebe sexo oral enquanto pratica cunilíngua com uma mulher que, por sua vez, copula com outra, que pratica felação em outro homem e assim por diante.
Chichisbeuísmo: Do italiano, cicisbeo – que significa galanteador. Forma de triângulo amoroso em que a mulher casada tem um amante, sendo isso do conhecimento do marido e dos seus amigos.
Coito intercrural: O mesmo que coito interfemural, ou seja, fricção do pênis entre as coxas da mulher.
Coprolalia: Hábito compulsivo de pronunciar palavras obscenas durante as relações sexuais. Gênero de linguagem obscena caracterizada essencialmente pela humilhação, frequentemente por ocasião do sexo, partindo principalmente do homem. Os temas mais usados são puta, vaca, cachorra e palavras do gênero.
Crematistófilo: Indivíduo que se excita pela obrigação de pagar pelo sexo ou pela situação de ter dinheiro ou objetos de valor material roubados pela parceira.
Dado erótico: Brincadeira erótica na qual são utilizados dados com palavras, posições ou parte do corpo, que definem o que deve ser feito pelo casal.
Dendrofilia: Interesse sexual dirigido para árvores. O termo é frequentemente associado aos numerosos casos de devoção religiosa a árvores, nas quais se supõe viver uma divindade. Essa crença levou o rei persa Xerxes I a desposar pomposamente um plátano, por volta de 460 A.C.
Dildo: Aparelho que não vibra e serve para ser introduzido no ânus ou vagina. São feitos de borracha, silicone, metal ou outros materiais. Muitos podem ser parecidos com o pênis.
Dispareunia: Dor da mulher durante as relações sexuais.
Estelafilia: Atração sexual por monumentos líticos (feitos de pedra). Normalmente feitas em um só bloco, contendo representações pictóricas e inscrições.
Estimulador vaginal: Aparelho vibratório que pode ser inserido na vagina ou colocado sob o clitóris para obtenção de prazer.
Extensores penianos: Bomba de ar utilizada para a masturbação ou estímulo de ereção para o sexo. Alguns acreditam que seu uso possa aumentar o tamanho do pênis, mas não há estudos que comprovem esta teoria.
Formicofilia: Excitação por meio do contato de insetos e pequenos animais como formigas, caracóis ou rãs, com o órgão sexual.
Frotteurismo: Do francês frotteur. Erotização por meio de contato físico corpóreo furtivo (roçar) em aglomeração, filas, em ônibus superlotados etc. Na linguagem popular, chama-se pinar. A excitação sexual por estar sendo roçado (ou pinado) chama-se Gregomulcia.
Gerontofilia: Preferência sexual por pessoas muito mais velhas. Ou seja, atração sexual de não-idosos por idosos.
Havaiano: [Sextoy] Pênis de duas cabeças, uma de cada lado da prótese. Pode servir para dupla penetração em uma pessoa. Casais também podem usar a prótese dupla para que ambos possam simultaneamente receber penetração.
Hentai: Termo japonês utilizado para designar quadrinhos e desenhos pornográficos.
Hirsutismo: Desenvolvimento excessivo de pelos, especificamente na mulher, em geral devido a excesso de testosterona.
Iatronudia: Excitação sexual obtida ao se expor a um médico, geralmente usando do expediente de se consultar sem estar realmente doente.
Kosupurefilia: Excitação sexual por Cosplay. Cosplay (コスプレ, Kosupure) é a abreviação de costume roleplay, que se traduz por “representação de personagem a caráter”, “disfarce” ou “fantasia”.
Lap dance: Dança sensual realizada por mulheres com o auxílio de uma cadeira na qual seu parceiro permanece sentado. 
Ligerastia: Situação em que a pessoa só se excita sexualmente no escuro.
Lingerie: Roupa íntima feminina.
Looners: Nomenclatura dos adeptos do fetiche por balões. Essa sub-cultura se divide em popper e non-popper. Poppers são os que sentem prazer em estourar balões. Non-poppers são os que sentem prazer em manipular balões, mas sem estourá-los.
Massagem sensual: Massagem que explora os diferentes tipos de toque físico com o objetivo de estimular sexualmente o parceiro.
Masturbador masculino: Objeto utilizado pelo homem para masturbação que pode ser feito de diversos materiais como borracha ou silicone. Esse artigo erótico pode possuir formatos variados, imitando uma vagina, ânus ou boca.
Menofilia: Atração ou excitação por mulheres menstruadas.
Merkin: Peruca genital feminina, que pode tanto substituir pelos ausentes, como cobrir os existentes de uma cor com pelos de outra cor. O termo tem origem desconhecida, mas sabe-se que na Europa medieval, designava o pelo pubiano natural da mulher e também seus próprios genitais.
Nanofilia: Atração sexual por anões.
Nesofilia: Desejo sexual por transar em ilhas, geralmente desertas.
Orgasmolepsia: Incapacidade de orgasmo (no homem ou na mulher) mesmo a pessoa estando excitada.
Plugs: Objetos não vibratórios utilizados para o estímulo anal.
Pogonofilia: Fetiche por barba.
Pole dance: Dança sensual que consiste em utilizar como elemento um poste ou barra vertical sobre o qual a(o) bailarina(o) realiza sua atuação.
Pompoarismo: Técnica oriental que consiste na contração e relaxamento dos músculos circunvaginais, buscando, como resultado, o prazer sexual.
Riparofilia: Sinônimo: Misofilia. Interesse sexual por pessoa suja ou anti-higiênica. Isso inclui também o uso de roupas sujas, mulher menstruada e sem asseio.
Sadomasoquismo: Refere-se à relação entre duas tendências de busca do prazer: o sadismo e o masoquismo. Sadismo: É a tendência de busca do prazer impondo o sofrimento físico e moral a outra pessoa. Masoquismo: É a tendência oposta ao sadismo, em que uma pessoa busca sentir prazer em receber sofrimento físico e moral praticado por outra pessoa.
Sarilofilia: Fetiche por saliva ou suor.
Socratismo: Introdução dos dedos no ânuspara obter prazer sexual. O filósofo Sócrates, dizem, gostava de fazer isso – daí o nome.
Spanking: Fetiche relacionado ao ato de espancar outra pessoa com o objetivo de obter de prazer compartilhado pelas duas partes.
Strip-tease: Ato que geralmente envolve dança, no qual uma pessoa se despe completamente para outra(s) pessoa(s), de forma a excitá-la(s) sexualmente.
Swing: Prática sexual relacionada à troca de casais.
Trampling: É um fetiche que consiste no ato de um indivíduo ser pisado por uma ou mais pessoas, normalmente do sexo oposto, sendo mais comum uma mulher pisando num homem.O depto sente-se excitado ao ser pisado por outra pessoa, descalça ou não, em várias partes do seu corpo, como peito, barriga, e até mesmo a cabeça dos órgãos genitais. É muito comum o uso de salto alto para a realização desse fetiche. O Trampling é muitas vezes associado ao sadomasoquismo e à podolatria.
Tribadismo: Prática sexual lésbica que consiste na fricção mútua das vulvas envolvidas no ato.
Urofilia: Urofilia está designada à excitação associada ao ato de urinar ou receber jato urinário do parceiro, chegando-se, em alguns casos, a beber urina. A urina pode ser depositada no ânus ou vagina. É também designado como Ondinismo, Urolagnia, ou pelo termo popular “Chuva Dourada”
Vela beijável: Vela feita de material comestível, que, derretida, serve como óleo de massagem.
Vibrador: Aparelho vibratório de diversos formatos que serve para ser introduzido no ânus ou vagina. Pode ou não ser parecido com o pênis, simulando seu formato e tamanho.
 
Fonte: www.elhombre.com.br

09 de Fevereiro de 2017
Ver mais notícias